MEMÓRIA: A aprendiz repete o sucesso do mestre

O último capítulo de “Anjo Mau” em 1998 guardava um grande mistério: Nice morre ou não? Muitos telespectadores desligaram a TV no final do primeiro bloco quando todos acreditaram que era o fim para a babá Nice (Glória Pires). Após o final, quando todos já sabiam que o final tinha sido feliz, o jornal O Globo publicou uma carta aberta de Maria Adelaide Amaral fazendo um balanço sobre a primeira novela solo que escrevia. O Tele Dossiê resgatou esta carta e compartilha com seus leitores. Continue reading

Pixels de felicidade respingados na telinha

Para uns, é uma gota de orvalho numa pétala de flor. Para outros, uma casinha, uma colina. Alguns reclamam que ela foi embora (mas a saudade no peito ainda mora). Há ainda quem diga que, para que ela aconteça, basta andar tranquilamente na favela onde nasceu. E tem mesmo os que afirmam que ela brilha no ar como uma estrela que não está lá. Continue reading

Brincando de “gato e rato” no horário das seis: o estilo de Duca Rachid e Thelma Guedes

Sendo uma das duplas de autores mais afinadas da nossa teledramaturgia atual, Duca Rachid e Thelma Guedes emplacam hoje a trama das seis “Joia Rara”, imbuída em universo místico, repleto de personagens marcantes, com uma direção de arte digna de aplausos e, como não poderia deixar de ser, tem a marca das autoras: o incessante jogo de gato e rato que ambas utilizam desde sua primeira novelas juntas de fato, “O Profeta” em 2006. Ruim ou boa, a fórmula deu certo até certo ponto, mas que já demonstra sinal de cansaço na novela das seis, principalmente para quem já vinha admirando as obras das autoras desde sua estreia. Continue reading

Como “Avenida Brasil” bagunçou a estrutura da televisão argentina

“Avenida Brasil” (João Emanuel Carneiro, 2012) continua dando o que falar. Em sua carreira internacional, a novela tem provocado grandes discussões. Nosso colunista Germán Caballero, nosso correspondente da Argentina, fala nesta coluna como a novela tem mexido com a estrutura da produção televisiva argentina e levantado a questão: “Afinal o que ela tem que nós não temos?”

Leer este artículo en español

Continue reading

O vento sopra o destino pelos caminhos do mar: Porto dos Milagres e o universo mágico de Aguinaldo Silva

Agora eu quero contar as histórias da beira do cais da Bahia. Os velhos marinheiros que remendam velas, os mestres de saveiros, os pretos tatuados, os malandros, sabem essas histórias e essas canções. Eu as ouvi nas noites de lua no cais do mercado, nas feiras, nos pequenos portos do Recôncavo, junto aos enormes navios suecos nas pontes de Ilhéus. O povo de Iemanjá tem muito que contar. [Jorge Amado – Mar Morto] Continue reading

Cara, coroa e outras histórias

As tramas paralelas de “Cara e Coroa” são os habitantes da pequena cidade Porto do Céu. Todos se conheciam e muitas das intrigas se cruzavam de alguma maneira. Mas foi através da figura de Vivi (vivendo todos os conflitos de Fernanda) que as tramas secundárias de maior importancia ganhavam destaque. De uma maneira ou de outra, Vivi/Fernanda (Christiane Torloni) acabava se envolvendo nos conflitos alheios, incorporando-os ao desenrolar da ação principal. Continue reading

A trama de Duca Rachid e Thelma Guedes emociona com suas canções

No final do seu primeiro capítulo, “Jóia Rara” apresentava o primeiro encontro entre o casal romântico Franz (Bruno Gagliasso) e Amélia (Bianca Bin). Em meio a uma discussão com o pai do mocinho, a heroina é levemente atropelada, sendo ajudada por aquele que seria seu futuro marido. E ao encontro de olhares, sobe a música “Nascente” de Milton Nascimento. “Jóia Rara” era uma novidade e não sabíamos o que ela iria nos proporcionar, mas a partir daquele momento uma certeza tivemos, ia  ser daquelas novelas que a trilha sonora ia marcar. A escolha do tema do casal não podia ser melhor. Intensa, emocionante e envolvente. Continue reading