INTERATIVIDADE: Ela realmente existe?

Podemos entender por interatividade na televisão como uma habilidade de uma mídia de permitir que seu usuário (espectador) exerça influência sobre o conteúdo ou participe através de comunicação mediada.  A chamada interação sempre existiu, embora tenha ocorrido de forma determinada pela emissora para o espectador. Os exemplos mais tradicionais são a participação através de cartas, cupons que dão direito a sorteios, telefones, fax e até mesmo a interação nos programas de auditório que abriam uma nova via de comunicação que não mais a unidirecionada. Leia mais

Pixels de felicidade respingados na telinha

Para uns, é uma gota de orvalho numa pétala de flor. Para outros, uma casinha, uma colina. Alguns reclamam que ela foi embora (mas a saudade no peito ainda mora). Há ainda quem diga que, para que ela aconteça, basta andar tranquilamente na favela onde nasceu. E tem mesmo os que afirmam que ela brilha no ar como uma estrela que não está lá. Leia mais

Brincando de “gato e rato” no horário das seis: o estilo de Duca Rachid e Thelma Guedes

Sendo uma das duplas de autores mais afinadas da nossa teledramaturgia atual, Duca Rachid e Thelma Guedes emplacam hoje a trama das seis “Joia Rara”, imbuída em universo místico, repleto de personagens marcantes, com uma direção de arte digna de aplausos e, como não poderia deixar de ser, tem a marca das autoras: o incessante jogo de gato e rato que ambas utilizam desde sua primeira novelas juntas de fato, “O Profeta” em 2006. Ruim ou boa, a fórmula deu certo até certo ponto, mas que já demonstra sinal de cansaço na novela das seis, principalmente para quem já vinha admirando as obras das autoras desde sua estreia. Leia mais

Como “Avenida Brasil” bagunçou a estrutura da televisão argentina

“Avenida Brasil” (João Emanuel Carneiro, 2012) continua dando o que falar. Em sua carreira internacional, a novela tem provocado grandes discussões. Nosso colunista Germán Caballero, nosso correspondente da Argentina, fala nesta coluna como a novela tem mexido com a estrutura da produção televisiva argentina e levantado a questão: “Afinal o que ela tem que nós não temos?”

Leer este artículo en español

Leia mais

A trama de Duca Rachid e Thelma Guedes emociona com suas canções

No final do seu primeiro capítulo, “Jóia Rara” apresentava o primeiro encontro entre o casal romântico Franz (Bruno Gagliasso) e Amélia (Bianca Bin). Em meio a uma discussão com o pai do mocinho, a heroina é levemente atropelada, sendo ajudada por aquele que seria seu futuro marido. E ao encontro de olhares, sobe a música “Nascente” de Milton Nascimento. “Jóia Rara” era uma novidade e não sabíamos o que ela iria nos proporcionar, mas a partir daquele momento uma certeza tivemos, ia  ser daquelas novelas que a trilha sonora ia marcar. A escolha do tema do casal não podia ser melhor. Intensa, emocionante e envolvente. Leia mais

#Vingança 2.0 em “Malhação”

As últimas duas temporadas de “Malhação” ficaram marcadas pela forte presença da tecnologia, sendo usada das formas mais populares entre os jovens. Aparentemente a novelinha teen está sendo bem sucedida no quesito linguagem e diálogo com seu público: na temporada anterior, estavam em voga os vlogs e Orelha (David Lucas) levava ao ar a TV Orelha, no qual tecia comentários ácidos sobre seus colegas do Colégio Quadrante. Leia mais

“Doce de Mãe” é uma doce comédia

A sociedade brasileira está envelhecendo.  Prova disso são dados divulgados pelo IBGE que dão conta que essa faixa etária deve passar de 14,9 milhões (7,4% do total), em 2013, para 58,4 milhões (26,7% do total), em 2060. E é natural que a teledramaturgia passe a se interessar por esse segmento e toda sorte de sentimentos e questionamentos que ele traz consigo. Leia mais