Os muitos amores de “Um sonho a mais”

tbdossieEnquanto Volpone (Ney Latorraca) usava muitos disfarces para tentar provar sua inocência, várias tramas paralelas aconteciam, a maioria delas envolvendo amores perdidos e troca de casais.

Mônica (Tássia Camargo) é a mocinha jovem da trama. A filha de Stela (Sílvia Bandeira) e Aranha (Fúlvio Stefanini), que mais tarde descobre ser fruto do amor da mãe com Volpone, passa a novela toda com o coração balançando entre vários candidatos. No início da trama a moça está de casamento marcado com o bom moço Emílio (Roberto Bataglin), o filho de Pedro Ernesto (Carlos Kroeber). Tudo parece correr bem até que ela se envolve com Joaquim (Edson Celulari), por quem se apaixona perdidamente. Uma das cenas mais lembradas da novela é exatamente a do casamento de Mônica e Emílio. A cerimônia acontece em um local aberto, perto do cais. Joaquim surge em um guindaste, pedindo para que Mônica não se case e fique com ele. A filha de Stela sai correndo, fugindo com o rapaz e deixando o noivo no altar.

tassia-bataglinSe Mônica pensava que a vida com o irresponsável Joaquim seria fácil, se enganou. Aos poucos o romance vai esfriando e ela percebe que talvez tenha feito uma besteira. Só que é tarde para voltar atrás já que Emílio agora está envolvido com Regina (Cláudia Magno), que passou a consolá-lo desde que foi abandonado no altar. Mônica conta seus problemas amorosos para o analista Noronha (Emile Eddé), que aos poucos vai se apaixonando pela garota. O amor platônico, no entanto acaba se tornando um amor obsessivo. O envolvimento de Mônica com Edgard (Anselmo Vasconcelos) piora ainda mais a situação. Noronha passa então a querer destruir a garota e também Volpone, que fica sabendo da perseguição sobre Mônica e passa a defender a filha.

Enquanto está no hospital após ser baleado por Pedro Ernesto (Carlos Kroeber), o protagonista sofre um atentado a mando de Noronha e só se salva graças à intervenção do amigo Mosca (Marco Nanini). No final da novela, Mônica acaba sozinha já que Edgard resolve ir embora e não se prender a ninguém ou a lugar algum.

globo__06-edson-celulari-em-um-sonho-a-mais-1985__gallefullEdgard foi um capítulo a parte em Um Sonho a Mais. O ator Anselmo Vasconcelos começou a novela interpretando o mau caráter Edson. Logo surge Edgard, o irmão gêmeo de Edson, um punk divertido que conquistou o público. Uma música da boyband porto-riquenha Menudo, sucesso absoluto naquele ano, foi usada como forma de tortura em Edgard, uma das cenas mais lembradas e divertidas da novela. A expressão “tá maus” usada pelo personagem quando algo ruim estava acontecendo caiu na boca do povo e até hoje ainda é usada.

Depois de ser abandonado por Mônica, Emílio se entregou ao amor de Regina. Logo o rapaz marcou casamento, mas não contava com uma pedra em seu caminho: Joaquim. Após o fim do romance com Mônica, Joaquim acabou se envolvendo também com Regina, que não resistiu ao conquistador. No dia do casamento de Emílio e Regina, mais uma vez Joaquim aparece e leva a noiva embora, dessa vez em uma moto.

A partir daí Emílio fica amargurado e passa a desacreditar no amor. Assim como Mônica, Regina percebe que fez a escolha errada e volta para tentar reconquistar Emílio. A tarefa é difícil, mas no final ela consegue e os dois terminam juntos. Aliás, a relação tripla entre Emílio, Regina e Joaquim mereceu atenção especial da censura que achava a relação do triângulo muito liberal para o horário.

maite-um-sonhoJoaquim não dormiu em serviço em Um Sonho a Mais. Além das já citadas Mônica e Regina, o rapaz ainda encontrou tempo pra se envolver com Valéria (Maitê Proença) e mais tarde com a mãe biológica da moça, Renata (Suzana Vieira). No último capítulo Joaquim vê Renata sendo presa pela morte de Telles e acaba sozinho.

Valéria, que teve um começo sofrido, principalmente em sua relação com a mãe adotiva, Beatriz (Yara Amaral) e mais tarde com a mãe biológica, Renata, também não teve medo de se apaixonar. Além do envolvimento com Joaquim, a moça passou boa parte da novela tendo um romance com Mosca. O namoro não caiu no gosto do público e logo Valéria começou a namorar seu tio, o vilão Aranha (Fúlvio Stefanini). Esse romance porém, acontece de forma a trazer novos mistérios à novela. Quando descobre ser filha de Telles, Valéria passa a correr atrás do reconhecimento da paternidade. Com isso a jovem teria direito a parte da fortuna deixada pelo milionário. Separado de Stela e falido, Aranha vê em Valéria a possibilidade de ficar novamente em ótima situação financeira. Para isso termina o seu romance com Sandra (Márcia Porto) e se envolve com a sobrinha. Sandra não aceita ser abandonada e passa a ameaçar Valéria. A partir de certo ponto, Mosca se aproxima de Sandra, os dois se apaixonam e ela para de perseguir Valéria. Fica então a dúvida das verdadeiras intenções de Aranha com a garota. Nos últimos capítulos os dois resolvem deixar tudo para trás e viver seu amor.

Aparentemente Aranha realmente se apaixonou por Valéria. Outro romance que agradou ao público foi o de Lula (Antônio Pedro) e Mona (Cinira Camargo). Os dois formavam um divertido casal que vivia brigando, mas que não conseguia se separar. Para complicar, Mona não sabia das missões que Volpone dava ao namorado, acreditando sempre que ele estava se encontrando com outras mulheres.

Mesmo tendo trama confusa, Um Sonho a Mais apresentou boas tramas paralelas. O clima anárquico imposto por Daniel Más nos primeiros capítulos precisou ser amenizado por Lauro César Muniz, que tentou voltar à sinopse original. Em termos de qualidade a novela deixou um pouco a desejar, mas é sempre lembrada pelo público.

Outro ponto que comprometeu a história foi a falta de química entre Ney Latorraca e Sílvia Bandeira. Os telespectadores se interessavam muito mais pelo romance entre Pedro Ernesto e Anabela (um dos tipos de Volpone), do que pelo dos protagonistas da trama.

sonhointerUm dos destaques da novela foi sua trilha sonora. Nomes de sucesso da época como Os Paralamas do Sucessos, Gal Costa, Djavan e Blitz emprestaram vários hits para o disco nacional. A música “Whisky à Go Go”da banda Roupa Nova estourou nas rádios e até hoje é uma das mais lembradas. O disco internacional não ficava atrás, contando com intérpretes de peso como Culture Club, Tina Turner, Air Supply, Village People e Foreigner. A linda canção “Summer of 42” de Michel Legrand, tema do filme “Houve Uma Vez Um Verão”, serviu para embalar o romance entre Volpone e Stela.

Quem sabe o Viva não se lembra dessa controversa trama e resolve presentear os telespectadores com a história de Volpone e seus vários disfarces? Não custa sonhar, afinal de contas um sonho a mais…

Walter de Azevedo

Leia também:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *