Os segredos de um Hitchcock tupiniquim

Quem acompanha novelas sabe bem que, vira-e-mexe, o afamado recurso do “Quem matou?” é usado para alavancar a audiência. E quase sempre funciona. Afinal, de médico, louco e detetive todos temos um pouco… Interessado em resolver o quebra-cabeça criado pelo autor, o público se engaja na tentativa de desvendar a trama – às vezes, criam até bolões de aposta para ver quem descobre a identidade do criminoso. Imagine agora um “Quem matou?” ao longo de uma novela inteira. Pois assim foi “A Próxima Vítima” (TV Globo, 1995), de Sílvio de Abreu. Leia mais

“A Próxima Vítima”: e o clima de suspense está de volta!

Uma série de assassinatos e três perguntas: quem matou? Por que matou? E quem será o próximo a ser assassinado? O thriller que fez tanto sucesso em 1995 está de volta desde o último dia 9 no Canal VIVA. Com autoria de Silvio de Abreu, colaboração de Maria Adelaide Amaral e Alcides Nogueira e direção-geral de Jorge Fernando, “A Próxima Vítima” é um dos marcos da teledramaturgia brasileira. Leia mais

“D. Guida, me liga com o Edu!”: Não confie nas secretárias de Sílvio de Abreu

Elas aparecem timidamente, começam a ter um destaque na trama e depois conseguem, ter um dos protagonistas nas mãos por saberem dos mais obscuros segredos. Sim… hoje vamos falar de seis delas: as SECRETÁRIAS de Silvio de Abreu. Leia mais

Feita pra apanhar, boa de cuspir

“Os que invocam os direitos do homem acabam por negar os direitos da fé e os direitos de Deus, esquecendo-se de que aqueles que trazem em si a verdade têm o dever sagrado de estendê-la a todos, eliminando os que querem subvertê-la, pois quem tem o direito de mandar tem também o direito de punir.” Com essas palavras, o dramaturgo Dias Gomes abria a cena de sua peça O Santo Inquérito, escrita em 1966, que tratava da acusação e do julgamento da cristã-nova Branca Dias, que, nos idos de 1558, na Capitania de Pernambuco, era tida como praticante disfarçada do judaísmo. Leia mais

10 Mais: Aberturas

Quando você pensa em uma abertura de novela, quais são as 10 melhores que vêm á sua cabeça? E se perguntássemos sobre aquele tema nacional ou internacional que você mais gosta? Ou ainda, que final de personagem mais te marcou? Pensando nisso, pedimos a opinião de nossos colaboradores sobre o assunto para falarmos durante esta semana no site do Top 10 de Aberturas, Mães e Pais da ficção, temas nacionais e internacionais, cidades fictícias e claro, os finais mais marcantes. Selecionamos os mais votados, mas não duvidem, saíram muitas loucuras. Comece descobrindo quais são as 10 melhores aberturas na opinião desses noveleiros do Tele Dossiê. E se não concordar, aproveite e faça a sua! Leia mais

“A Próxima Vítima”: Muito mais que uma novela sobre assassinatos

Quando Sílvio de Abreu estreou no horário nobre da Rede Globo em 1990 com “Rainha da Sucata”, ele já havia se tornado um aclamado autor, escrevendo para o horário das 19h vários sucessos, alguns deles, inclusive, figuram na lista das melhores novelas já produzidas pela televisão brasileira. Mesmo sendo uma grande novela e tendo conquistado uma audiência significativa, a trama da sucateira teve problemas estruturais nos primeiros capítulos e dividiu as atenções da imprensa com a surpreendente “Pantanal”, exibida pela TV Manchete. Em 1992, Sílvio voltou para as 19h e escreveu “Deus nos Acuda”, uma ácida crítica ao Brasil que estava vivendo o impeachment do presidente da república Fernando Collor. O autor só voltaria para as 20h em 1995, para construir seu maior sucesso de público: “A Próxima Vítima”. Leia mais

Vítimas de uma deliciosa trilha sonora

Quando chegava a hora da abertura de “A Próxima Vítima”, a voz de Rita Lee, uma das recordistas de temas de abertura, vinha à tona enquanto diversos alvos miravam pessoas comuns e as faziam sumir da tela. “Vítima” cantada por ela ao lado de Roberto de Carvalho, gravada em 1985, caiu feito uma luva para a novela mais misteriosa de todos os tempos, mas não foi a única a ter caído na boca do povo. Leia mais