Amor e ambição – o yin yang do romance de novela

A ambição pode ser, tanto na vida quanto na ficção, um câncer (com o perdão da horrenda palavra) que ataca o amor de dentro para fora, fazendo um dos amantes sabotar sem querer o sentimento que carrega, ou o combustível para um romance, atraindo os amantes e até fazendo com que eles tenham um objetivo comum. É um ingrediente que serve tanto para o bem quanto para o mal. LEIA MAIS

José Lewgoy: o favorito

O saudoso ator, José Lewgoy, nos deixou na tarde do dia 10 de fevereiro de 2003. Todavia, seu grande legado é algo bastante patente quando se fala em dramaturgia nacional: ele é uma das grandes referências, tanto no teatro, no cinema (que inclusive tem uma vasta coleção) e, ainda, nas telenovelas. LEIA MAIS

10 Mais: Temas Nacionais e Internacionais

Não basta fazer sucesso durante a exibição da novela. Para que um tema seja considerado imortal no panteão dos noveleiros tem que ser atemporal. Tem que ser como “Dona”, tema da viúva Porcina ou “Rock and Roll Lullaby”, tema de Simone e Cris em “Selva de Pedra”. Nossos colunistas quase se mataram para decidir quais músicas nacionais e internacionais mereciam estar nesta lista. E, claro, se você discordar, é só gritar, ou melhor, comentar. LEIA MAIS

Cassiano Gabus Mendes: um autor atemporal

Lembro-me de correr do colégio para casa para assistir suas novelas. Tive o privilégio de ver as primeiras versões. “Anjo Mau” (leia o Dossiê sobre a novela aqui no site) em preto e branco, com a brilhante interpretação da personagem Nice por Susana Vieira, “Locomotivas”, e sua abertura vibrante com a moça das luvas de boxe e batom vermelho; em, “Marrom Glacê”, deliciavam-me as histórias divertidas que aconteciam no buffet e, em “Brega & Chique”, as incontáveis risadas proporcionadas pelo texto maravilhoso dito pela tão maravilhosa Marília Pêra. LEIA MAIS

Uma trilha sonora que inspira os devaneios românticos

Nice era uma anti-heroína romântica que movimentava a vida de todos os personagens de “Anjo Mau” para alcançar seus objetivos. Por este motivo, a trilha sonora mantém o tom romântico da trama, sem desconsiderar uma grande parcela jovem e o tom de comédia típico do autor, representado pelo casal Stela (Pepita Rodrigues) e Getúlio (Osmar Prado).

LEIA MAIS

“Anjo Mau”: Quem são os personagens que rodeiam nossa babá?

Muito antes da história das empreguetes de “Cheias de Charme” tomar conta dos lares brasileiros, Suzana Vieira já havia imortalizado na telinha a ambiciosa babá Nice, na primeira versão de “Anjo Mau”, exibida em 1976. Inconformada com sua vida humilde, ela foi capaz de arquitetar vilanias para alcançar ascensão social. LEIA MAIS

“Anjo Mau”: A vilã com cara de anjo que conquistou o Brasil

Cassiano Gabus Mendes foi, acima de tudo, um homem de televisão, veículo onde praticamente fez de tudo. Foi um dos idealizadores do memorável “TV de Vanguarda”, do inesquecível “Alô Doçura” e da inovadora “Beto Rockfeller”. Mas, só em 1976, Cassiano estrearia como novelista da Rede Globo, com Anjo Mau. O paulistano criou aí, um modelo ideal para o horário das 19h, além de lançar seu estilo perpetuado em diversos outros trabalhos. LEIA MAIS