Cara, coroa e outras histórias

As tramas paralelas de “Cara e Coroa” são os habitantes da pequena cidade Porto do Céu. Todos se conheciam e muitas das intrigas se cruzavam de alguma maneira. Mas foi através da figura de Vivi (vivendo todos os conflitos de Fernanda) que as tramas secundárias de maior importancia ganhavam destaque. De uma maneira ou de outra, Vivi/Fernanda (Christiane Torloni) acabava se envolvendo nos conflitos alheios, incorporando-os ao desenrolar da ação principal. Leia mais

Uma mulher com duas faces, cara e coroa

No melodrama, deus e o diabo são as duas unidades fundamentais do comportamento, propondo à personagem caminhos do bem ou do mal, dando à trama a possibilidade de desdobrar esses caminhos do bem para o mal ou do mal para o bem até se resolver necessariamente de acordo com os princípios regentes da moral estabelecida. O drama romântico proposto por Antonio Calmon, exibido entre 1995 e 1996, dirigido por Wolf Maya, concentra essas duas cargas em uma única figura dramática, uma mulher bondosa e imaculada que ocupa o lugar de uma outra idêntica, envolvendo-se com os amores, o filho, os problemas e toda maldade e destruição que essa deixou para trás. Leia mais