O inesquecível crime da novela das oito

danith“De Corpo e Alma” poderia ser lembrada por sua excelente trama bem pensada e por atores expressivos como Tarcísio Meira, Vera Holtz, Beatriz Segall, entre outros. A novela tocou em temas delicados e conseguiu muitos admiradores na época. Entretanto, um fato ocorrido nos bastidores da novela chocou o país. Há 24 anos, no dia 28 de dezembro de 1992, um golpe ceifaria a vida da jovem atriz Daniella Perez, filha de Gloria. Convidamos o advogado Victor Agmc para discorrer sobre o assunto, infelizmente necessário num dossiê sobre a novela. Leia mais

Glória Perez: A dama dos dilemas

A boa dramaturgia é aquela que conta uma boa história ao passo que serve como espelho da vida real. Não necessariamente a trama precisa ser realista, mas não há sentido em se fazer uma obra em que o público não se reconheça.  Ainda que seja uma história fantasiosa, o mais importante é falar sobre as relações humanas. Leia mais

Não é fácil a vida da bailarina – Parte I

Poucos povos são tão musicais quanto o povo brasileiro. A mistura de tradições culturais europeias, africanas e indígenas encontrou no jovem país americano, de proporções continentais, terreno favorável para o surgimento de danças e ritmos variados. Cada região desenvolveu movimentos e signos próprios, resultando, por exemplo, no Baião ou no Frevo no Nordeste, no Vaneirão no Sul, na Catira no Centro Oeste, no Carimbó ou no Siriá no Norte, entre outras. Novos passos e estilos diferentes de dançar foram acrescentados ao longo dos anos, fazendo com que danças se recriassem e chegassem vivas aos dias de hoje, como o Samba, o Forró ou o Axé. Sem contar os estilos contemporâneos e estrangeiros que também fizeram o ouvido e os pés dos brasileiros, como o Rock, o Tango, o Mambo e o Country, ganhando uma roupagem mais tupiniquim. Leia mais

Quando a vida interfere na arte

Quando Daniella Perez foi assassinada em 1992 por seu colega de trabalho da novela “De Corpo e Alma” (Gloria Perez), além do escândalo, os roteiristas que assumiram a obra no lugar da autora, mãe da atriz, tiveram que pensar muito em como resolver na ficção o que a realidade impôs. Mas “De Corpo e Alma” não foi a única a ter esse contratempo. Além de atores que morrem, há também as atrizes que engravidam, os casais que se separam, brigas de bastidores… E no meio disso tudo, o pobre dramaturgo que tinha pensado tão bem o destino de seus personagens precisa resolver: Que diabos eu faço com essa história?  Leia mais

O merchandising social e o melodrama: a projeção-identificação nas novelas de Glória Perez – Parte II

A novela Barriga de Aluguel (1990/91) é a novela-filosofal (se assim pode-se dizer) de Glória Perez, pois todos os elementos que formam o esteio das tramas que a autora escreveria para a emissora estão ali: a vida nos subúrbios, a música, o salão de dança, a boate, o patriarcado e os embates dos discursos religioso e científico, nesses embates a questão social em evidência. Leia mais

10 Mais: Temas Nacionais e Internacionais

Não basta fazer sucesso durante a exibição da novela. Para que um tema seja considerado imortal no panteão dos noveleiros tem que ser atemporal. Tem que ser como “Dona”, tema da viúva Porcina ou “Rock and Roll Lullaby”, tema de Simone e Cris em “Selva de Pedra”. Nossos colunistas quase se mataram para decidir quais músicas nacionais e internacionais mereciam estar nesta lista. E, claro, se você discordar, é só gritar, ou melhor, comentar. Leia mais

“De Corpo e Alma”: um delicioso balaio musical

Que “De Corpo e Alma” foi uma novela que ficou marcada por vários aspectos, tanto bons quanto ruins, todo mundo sabe, entretanto a trama de Glória Perez manteve uma característica que foi bem deixada de lado nas produções dos anos 2000 e que de uns tempos pra cá é que está sendo retomada: o tema do personagem. Nas décadas de 70 e 80, muitos temas se tornaram, na memória do público, como “a música daquele personagem”. Impossível não ouvir “Rock and Roll Lullaby” sem pensarmos imediatamente em Cristiano (Francisco Cuoco) e Simone (Regina Duarte) em “Selva de Pedra” (Janete Clair, TV Globo, 1972), ou “Dona” sem nos lembrarmos da impagável Viúva Porcina (Regina Duarte) de “Roque Santeiro” (Dias Gomes / Aguinaldo Silva, TV Globo, 1985). Leia mais

Outros personagens entregues “De Corpo e Alma”

Além de abordar o tema do transplante e da doação de órgãos, através das personagens Paloma (Cristiana Oliveira) e Bettina (Bruna Lombardi), a autora apresentou na trama, a inversão de papéis entre homens e mulheres na atualidade. Para isso, usou as boates de strip-tease masculino e acabou ajudando a popularizar o “Clube das Mulheres”, que proliferaram no país inteiro. Leia mais

O transplante que mudou uma mulher “De Corpo e Alma”

O coração é mesmo apenas um órgão responsável pelo bombeamento de sangue para o resto do corpo? Um transplante pode transmitir os sentimentos de outra pessoa? Utlizando o tema do transplante de órgãos, a autora contou a história de Paloma (Cristiana Oliveira, estreando na Rede Globo após o sucesso em “Pantanal”), que se vê com um problema cardíaco irreversível e recebe transplante da explosiva e apaixonada Bettina (Bruna Lombardi). Confira essa emocionante história no dossiê da semana. Leia mais