Novelas das 19h: espaço para a comédia

O horário das 19h ficou popularmente conhecido como o horário das comédias, assim como o das 18h foi consagrado pelos romances e por algum tempo pelas novelas de época e o das 20 ou 21h pelas tramas mais densas. Não recebeu exclusivamente comédias rasgadas: existem notórias exceções – como “A Viagem”, na década de 1990 – mas boa parte das telenovelas de maior sucesso exibidas no horário vinham com a missão (aparentemente primeira) de fazer rir. Hoje, vamos pensar um pouco nos exemplos de comédias apresentados na faixa no passado e analisar brevemente um panorama atual, da comédia pastelão ao humor negro: quem são os novelistas que mostram maior potencial na missão de fazer rir hoje? Leia mais

10 Mais: Vilãs Azaradas

Sem elas nada acontece em uma novela. Se a atazanada vilã não for lá incomodar a vida da mocinha, a trama não anda! Por vezes, os seus planos para expulsar uma irmã da cidade, para roubar a filha de uma outra mulher, para acabar com a carreira de um novo trio musical ou até para destruir a imagem de uma empresária emergente vão por água abaixo e essas determinadas mulheres acabam sendo humilhadas em rede nacional. Quem ganha é o público, que se diverte quando vê “o feitiço virar contra o feiticeiro”. Desculpem garotas, mas nem todas nasceram para ser uma Odete Roitman! Leia mais

Final antecipado

O Tele Dossiê estreia com esta coluna a primeira parceria internacional do site. A partir deste momento, o roteirista Germán Caballero, de Buenos Aires, fará parte de nossa equipe. Neste primeiro texto, nosso colunista fala da relação da imprensa com as notícias e comentários a respeito da telenovela. Lea este artículo en español.
Leia mais

Flash de tarja preta

Luz, câmera e … mais um enredo que critica o universo das celebridades e a filosofia da fama. Não deixa de ser paradoxal e cômica a insistência televisiva e cinematográfica em retratar negativamente o show business, pois é nítida a dependência mútua entre eles; entretanto mais questionável do que isso é o poder de atração que esse tipo de trama exerce sobre o público que recebe um assunto reciclado como se fosse uma novidade. Leia mais

Toda a pompa no horário das sete!

No ar desde o fim de abril deste ano, “Sangue Bom” se revela, na minha opinião, a melhor novela da Rede Globo atualmente! Talvez a afirmação seja um tanto quanto ousada, mas é nítida a qualidade da novela em todos os seus detalhes mais preciosos: elenco afinadíssimo, histórias joviais e interessantes, uma crítica ácida com um toque certo de humor referente ao mundo das celebridades e, por fim, o texto com o qual Maria Adelaide Amaral e Vincent Villari nos brinda diariamente. Leia mais

Os triângulos amorosos em família

Traição pode ser definida como o rompimento da confiança adquirida. Tal qualificação pode ser aplicada a todas as formas de traição, sejam elas financeiras, de Estado, corporativas, de amizade, amorosas, familiares, entre outras. Judas e sua traição a Jesus Cristo talvez seja a história mais conhecida e difundida no mundo, porém a humanidade está repleta de outros casos de quebra de confiança, seja na vida real ou na dramaturgia. Leia mais

O protagonismo antagônico demonstrado em “Sangue Bom”

É um absurdo dividir as pessoas em boas e más. Elas ou são encantadoras ou aborrecidas”. A frase de Oscar Wide se encaixa perfeitamente no âmbito de nossa teledramaturgia nacional. Todas as personagens, por mais ruins ou perversas que possam ser, sempre – ou quase sempre – vemos que tem uma explicação lógica para tal comportamento, ou, se não for uma explicação lógica, ao menos, um fundamento essencialmente humano. Leia mais